quarta-feira, 19 de maio de 2010

6a PARTE DO ESTUDO DA MARIOLOGIA - MARIA NO APOCALIPSE



O teor de Ap 12,1-17


Dois grandes sinais aparecem no céu: a) uma mulher refulgente e gloriosa, que sofre dores do parto para dar à luz; b) um horrível Dragão, tão pujante que a sua cauda varre a terça parte das estrelas do céu.


O Dragão espreita o filho da Mulher para abocanhá-lo. Não o consegue, pois o Menino, que tem traços do Rei-Messias, é arrebatado aos céus, trava-se uma grande batalha no céu entre o arcanjo Miguel e seu exército de anjos, de um lado, e o Dragão, com seus anjos, do outro lado. A luta termina com o destronamento do Dragão, que é arremessado para a Terra.


A Mulher, após o arrebatamento do Filho, é por Deus abrigada no deserto durante 1260 dias ou um tempo. Satanás, tudo faz para destruir a Mulher; esta, porém, é protegida por Deus e escapa incólume às invectivas. Vendo que nada consegue nessa luta contra a Mulher, “o dragão vai combater o resto da descendência dela, os que observam os mandamentos de Deus e guardam o testemunho de Jesus”.


Qual o sentido de Ap 12,1-17? – Sentido da luta simbólica entre Miguel e os anjos bons contra o Dragão e os anjos maus. Fala do nascimento do Messias; este é perseguido por Satanás, que o quer impedir de realizar sua missão; todavia derrota Satanás e é glorificado nos céus. A vitória de Cristo implica, para o Diabo, a perda do principado que ele adquiriu seduzindo os primeiros pais. Disse o Senhor: “Aproxima-se o príncipe deste mundo. Por certo, ele nada pode contra mim” (Jo 14,30).


A Mulher de Ap 12,1-7


Gloriosa e dolorida: O autor descreve o esplendor da Mulher, baseando-se em textos do Antigo Testamento.


Gn 37,9: “José, em segundo sonho, viu o sol, a lua e onze estrelas, que se prostravam diante dele”.


Ct 6,10: “Quem é essa, que tem o olhar da aurora, bela como a lua, brilhante como o sol, terrível como esquadrão de bandeiras desfraldadas?


Essa Mulher bela, a Filha de Sião, o povo messiânico (que é freqüentemente representado no AT como Mulher). – Na Plenitude dos Tempos, a Filha de Sião coletiva faz muito concreta na pessoa de Maria Ssma. Tendo Jesus subido aos céus, o papel da Mãe-Mulher (mãe da Vida) não cessa; continua na Igreja, com Mãe e Mestra e gera seus Filhos para a vida eterna mediante os sacramentos (especialmente o Batismo e a Eucaristia). O Maligno jamais poderá suplantar ou aniquilar a Igreja como tal, mas poderá seduzir os cristãos que lhe quiserem dar ouvidos.



A Mãe do Messias, teve um parto doloroso? – A Filha de Sião, descrita com traços gloriosos, que convém a Maria Ssma elevada aos céus, sofreu penosas provações durante os séculos que preparam a vinda do Messias; a gestação do Messias por parte de Sião, foi, sem dúvida, dolorosa.


A Mulher de Ap 12 assume sucessivos aspectos no decorrer da história: Filha de Sião, Maria Ssma, Santa Mãe Igreja.


A Mulher de Ap 12 é a Mulher como tal, na sua função específica da maternidade, já designada pelo nome Eva. A Mulher perpassa toda a história da salvação; a vida até mesmo a vida do Messias, só vem aos homens através da Mulher. E nas entranhas da Mulher que está escondida a salvação da humanidade.


Salve Maria!


fonte: web tv CN


Nenhum comentário:

Postar um comentário