quarta-feira, 26 de maio de 2010

11a PARTE DO ESTUDO DA MARIOLOGIA: FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA - NOVO TESTAMENTO: SÃO LUCAS



NOVO TESTAMENTO


A INFÂNCIA DE JESUS EM Lc 1-2


Lucas narra traços da infância de Jesus, pondo a Virgem Maria em primeiro plano.


A ESTRUTURA DE Lc 1-2


São dois quadros compostos de duas cenas:






Díptico dos Anúncios


Díptico dos Nascimentos




  • Anúncio do nascimento de João Batista (1,5-25)



  • Nascimento de João Batista (1,57s)



  • Anúncio do nascimento de Jesus (1,26-38)



  • Circuncisão e manifestação de João Batista (1,58-80). Conclusão: o menino crescia...



  • Episódio complementar: a Visitação (1,39-56)



  • Nascimento de Jesus (2,1-20)




  • Circuncisão e manifestação de Jesus (2,41-52)




  • Episódio complementar: Jesus no templo aos 12 anos (2,41-52). Conclusão: o menino crescia...

O segundo díptico é mais intenso do que o primeiro; estão sempre em relevo Jesus e Maria, mostra a superioridade do Cristo sobre o Batista e de Maria sobre Zacarias.


Zacarias é irrepreensível segundo a Lei de Moisés (1,6). Maria é cheia de graça. A Maria é lícito interrogar o anjo (1,34), Zacarias é punido por fazê-lo (1,18). O anúncio a Maria termina com a entrega da serva à vontade do Senhor (1,38), o anúncio a Zacarias se encerra com o silêncio. Isabel prorrompe em breve ação de graças (1,25), Maria exulta no canto do Magnificat (1,47-55).


ALUSÕES ÀS ESCRITURAS


Lucas quis narrar os fatos de modo que o leitor perceba neles a realização do plano de Deus, com eco em textos do AT, como: Dn 9,24-26 (setenta semanas de anos = 490) e Ml 2,3 “o Senhor comparece no Templo”.


Lc 1-2 à luz de Dn 9,24-26 : O arcanjo Gabriel só aparece em Dn 8,16; 9,21 e Lc 1,10-26. Em Dn 9,24 fala-se de setenta semanas como de um período definido. Já em Lc 1-2 tem por base a cronologia de setenta semanas, após as quais o Senhor Jesus é apresentado no Templo.




  • Lc 1,26-38: no sexto mês (=180dias);


  • Lc 2,7: Jesus nasce nove meses após o anúncio a Maria = 270 dias;


  • Lc 2,22: Jesus é apresentado no Templo, conforme Lv 12,3, 40 dias após o seu nascimento;

Donde: 180 + 270 + 40 = 490 dias (=70 semanas).


O Evangelho da infância culmina no Templo de Jerusalém, onde Jesus entra para realizar a obra que Malaquias cita em 3,1-4: “Eis que vou enviar meu mensageiro para que prepare um caminho diante de mim. Então de repente entrará em seu Templo o Senhor, que vós procurais...”.


Merecem ressonância:

Malaquias


Lucas


2,6:


Ele converteu a muitos


1,16:


Converterá muitos dos filhos de Israel


3,1:



3,23:


3,24:




Preparará um caminho diante de mim


Eis que vos mando Elias


Vós vos convertereis e vereis diferenças entre os justos e os ímpios


1,17:


Caminhará à frente do Senhor com o espírito e poder de Elias a fim de converter os corações dos pais e dos filhos e os rebeldes à prudência dos justos para preparar ao Senhor um povo perfeito.




Sofonias


Lucas


3,14:


Alegra-te, Filha de Sião. Solta aclamações, Israel, rejubila-te Filha de Jerusalém


1,28:


Alegra-te, tu que foste e permaneces repleta do favor divino


3,15


O Senhor está no meio de ti


1,18:


O Senhor está contigo


3,16


Não tenhas medo, Sião


1,30:


Não tenhas medo, ó Maria





Êxodo


Lucas


40,45:


A nuvem cobriu com a sua sombra o tabernáculo e a glória do Senhor encheu a morada (cf. Nm 9,18-22; 2Cr 5,7-6,2)


1,35:


O poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isto aquele que nascer de ti, será chamado Santo, Filho de Deus.



Deus realiza em Maria o que realizava na Arca da Aliança: a morada de Deus,...mas segundo nova e inaudita modalidade: a conceição Virginal. E a Visitação de Maria a Isabel, relato que faz eco ao do transporte da Arca de Cariat-Iarim para Jerusalém (2Sm 6,2-11).


O modo de reescrever adotado por Lc 1-2 e Mt 1-2 é chamado de MIDRAXE (interpretação da Escritura, exegese que procura reler a Escritura à luz dos acontecimentos da história sagrada. O Midraxe, não é uma crônica fria, mas uma narrativa vivencial, que abre os olhos do leitor e o interpela).


S. Mateus, em vez de “fabricar” narrativas que correspondessem a textos bíblicos, faz o contrário: adapta livremente os textos bíblicos aos acontecimentos que ele narra, por exemplo:




  • Mt 2,15 cita Os 11,1, como se este texto profetizasse a volta, do Menino Jesus, do Egito, quando na verdade o texto se refere ao êxodo do povo por Moisés;


  • Mt 2,18 cita Jr 31,15, como se aludisse ao pranto das mães dos inocentes massacrados por Herodes; na verdade, o texto se refere à terra de Judá enlutada pela deportação de seus filhos para a Babilônia;


  • Mt 2,23 que cita “Ele será chamado Nazareno”, que é a combinação de algumas profecias entre si: Jr 13,5-7; Is 42,6; 49,8.

TRAÇOS COMPLEMENTARES


Grande peso na Mariologia tem a expressão Kecharitoméne com que Maria é designada pelo anjo Gabriel (Lc 1,28). É comum traduzí-la por cheia de graça. Exato é dizer “tu que fostes e permaneces repleta do favor divino”, estar preenchida, repleta. A tradição viu nesta apelativo o fundamento das prerrogativas da Imaculada Conceição e a Assunção corporal de Maria.


Jesus é pléres cháritos, cheio de graça (Jo 1,14); não foi preenchido, nunca existiu sem estar cheio de graça. Esta é devida à sua humanidade unida hipostaticamente à Divindade. Maria é filha de Adão pecador; tinha o débito do pecado, mas dele foi preservada, tornando-se cheia de graça.


Nenhuma criatura na S. Escritura é tão elogiada quanto Maria Ssma.


Lc,1,28: Kecharitoméne; Lc 1,29: O Senhor está contigo; Lc 1,35: O Espírito Santo virá sobre ti; Lc 1,42: Maria é a mais bendita de todas as mulheres; Lc 1,43: Maria é a Mãe do meu Senhor (Kýrios); Lc 1,49: grandes coisas foram realizadas em Maria; Lc 1,48: por isto todas as gerações a chamarão bem-aventurada.



Salve Maria!


fonte: ISCR - Instituto Superior de Ciências Religiosas


Nenhum comentário:

Postar um comentário